Se o Bitcoin é uma bolha, o estágio de “pânico” está próximo(?)

Não é incomum para os céticos aparecerem frequentemente com gráficos de desempenho do Bitcoin e, sem muita análise, o  rotularem a bolha de tulipas do século 21.

Mas os economistas notam que as bolhas são coisas complexas, com um ciclo de vida próprio.

De acordo com o falecido Hyman Minsky, economista norte-americano cujas teorias sobre fragilidade financeira tomaram a dianteira durante a crise financeira de 2008, quando uma explosão no acúmulo da dívida privada levou ao colapso do mercado imobiliário, uma bolha de ativos tem cinco estágios: deslocamento, boom, euforia, obtenção de lucro e pânico.

Usando essa estrutura, Joost van der Burgt, consultor de política do Federal Reserve Bank de São Francisco, disse que, se o bitcoin BTCUSD, + 1,15% é de fato uma bolha, é provável que se estamos no início do processo de obtenção de lucros, o que significa que o estágio seguinte é o de pânico.

A fase de deslocamento da bolha surgiu nos anos após Satoshi Nakamoto, a pessoa ou pessoas creditadas com a criação do Bitcoin, divulgar o white paper sobre a primeira moeda digital. Nos primeiros anos, o Bitcoin era governado por seus proponentes hard-core e a falta de notoriedade era evidente no volume mínimo de negociação e no preço; um único Bitcoin não foi negociado acima de US$ 100 até 2013.

No entanto, a segunda fase tem sido menos enigmática. “A fase subsequente do ‘boom’ é caracterizada por preços subindo lentamente no começo, mas ganhando impulso à medida que mais e mais participantes entram no mercado, com medo de perder de bonde”, escreveu van der Burgt.

Esse medo, muitas vezes referido pela sigla FOMO, para saber mais sobre leia nosso especial sobre os termos de trade aqui, viu empresas adicionarem termos relacionados a moedas ou blockchain aos seus nomes, na esperança de capitalizar o crescente interesse na indústria. Além disso, as celebridades entraram na onda, lançando ou endossando suas próprias cryptomoedas. No entanto, como muitas dessas empresas foram expostas, essas “novas” cryptomoedas explodiram pelo caminho – muitas vezes com ramificações legais.

Agora, mesmo quando a volatilidade dos preços diminui, o hype permanece. Van der Burgt argumenta que a bolha do bitcoin está agora entrando no estágio eufórico, com paralelos diretos com o período que antecedeu a crise financeira de 2008. A mesma euforia do mercado financeiro sobre os sub primes, derivativos que eram negociados sem lastro, baseados nas hipotecas que nem eram mais pagas. O efeito foi devastador para economia americana. Os efeitos dessa crise são sentidos até hoje.

“A fase de euforia é também quando as pessoas começam a emprestar extensivamente para financiar seus investimentos”, disse van der Burgt.

De acordo com uma pesquisa recente, 18% dos investidores em Bitcoin ativos financiaram seus investimentos com cartão de crédito e 22% desse grupo indicaram que ainda não pagaram seu saldo no cartão de crédito. A conta está chegando salgada para esses investidores(?).

O preço da maior moeda digital do mundo perdeu mais da metade do seu valor desde o pico em dezembro de 2017 e van der Burgt acredita que o mercado está entrando no estágio de obtenção de lucro, uma fase em que entra em ação o chamado dinheiro inteligente. Justamente quando os grandes investidores, aquelas baleias que pumparam e dumparam o mercado, por exemplo, estão de saída. Talvez achando ou prevendo um estouro da bolha.

“A fase subsequente de ‘pânico’, se chegar a esse ponto, começa quando a realidade se aproxima e o preço do Bitcoin irá cair substancialmente”, afirma van der Burgt.

Contudo, toda vez que se vaticinou a morte do Bitcoin, o ativo mostrou extrema resiliência e voltou a subir com força e manteve seu status quo. O que está em curso atualmente no mercado e que van der Burgt, ignorou é que a enxurrada de dinheiro fácil que estava atuando sobre as cryptos, rumou para praias mais seguras, como os títulos americanos e para a bolsa de valores. A atual baixa é resultante direta dos efeitos das taxas de juros americanos que têm atraído uma quantidade colossal de investimentos que estavam rumando para as cryptos, mas que refluíram para portos mais seguros, como os títulos americanos, os C-Bonds. Que estão operando com prazos irrealísticos. Títulos de 5 anos com rentabilidade maior que os títulos australianos de 20 anos.

O Bitcoin continuará a dominar o mercado, apesar de suas muitas deficiências. Para os investidores do Bitcoin, isso pode ser um indicador de que os ETFs do Bitcoin estão chegando, e a NASDAQ e a Pantera Investments sabem que será algo grande. Como já anunciado aqui nesse portal, sobre as preferências de investimento da Pantera. O Bitcoin “é uma compra assustadora no momento”, segundo Dan Morehead, diretor-executivo do fundo de hedge de cryptomoedas de US$1 bilhão da Pantera.  Assim como temos visto grandes investidores como Tim Draper e Soros, investindo pesado em Bitcoins. Portanto, nosso insight sobre o Bitcoin não será longo.

 

Siga-nos no Telegram   no WhatsApp   no Twitter

 

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]