Banco central indiano endurece a vida das exchanges por lá

Em 6 de abril de 2018, o Banco da Reserva da Índia (RBI) anunciou que dentro de três meses as entidades registradas com eles devem parar de lidar com cryptomoedas ou empresas que lidam com elas. Como já anunciado aqui nesse portal em abril.

Isso inclui bancos, carteiras móveis e gateways de pagamento domésticos. Não foi a primeira vez que uma entidade governamental anunciou uma regra que afetaria o comércio de cryptomoedas na Índia. Não houve proibição de negociação de tokens propriamente. Em vez disso, não permitir que os bancos forneçam seus serviços às exchanges dificulta enormemente as transações, porque elas não poderão mais processar pagamentos fiduciários.

Para impedir o encerramento completo das negociações, as exchanges vêm adicionando grupos de crypto-to-crypto algo nunca tentando antes na Índia.

O volume de bitcoins negociados na Índia caiu em abril e vem tentando se erguer com as ações tomadas pelas exchanges locais

 

Na semana passada, a Zebpay, a maior exchange da Índia, anunciou seis novos pares de negociação de crypto-to-crypto. Estes pares incluem Ethereum, Bitcoin cash e Ripple contra BTC. Outra bolsa popular, a Unocoin anunciou um novo aplicativo em que os usuários poderiam trocar cryptomoedas populares por outras cryptomoedas.

Em conversa com o Economic Times, Ajeet Khurana, o CEO da Zebpay, disse:

“Mesmo se não houvesse uma circular do RBI, o produto de crypto-to-crypto teria acontecido. No entanto, por causa da circular e do fato de que os fiats podem não estar mais na foto, esse problema definitivamente nos apressou e encorajou a adoção da solução mais cedo. ”

Estima-se que a Índia tenha mais de 5 milhões de operadores ativos e isso só deverá aumentar. Enquanto o governo limita as negociações fiduciárias, os traders mudaram para as soluções de balcão, como a LocalBitcoin, uma plataforma P2P muito popular em países como Irã e Venezuela e que fatura mais que muitas exchanges, como já anunciado aqui nesse portal. Os venezuelanos são os principais negociadores na América do Sul, como também já anunciado aqui nesse portal em primeira mão. Embora a Índia tenha um grande número de traders, ela representa menos de 1% do volume diário mundial.

A principal fonte de receita das exchanges, em qualquer lugar do mundo são as taxas. Com a entrada de soluções baseada em P2P e crypto-to-crypto a vida delas, também passa a ficar mais difícil. Por isso, que projetos de exchanges no qual o core business não é sobre cobrança de taxas, irá longe. Projetos como da exchange Clube Bitcoin são muito bem vindos. Leia mais sobre o projeto e o ICO deles aqui.

Tanto os traders quanto as exchanges não estão satisfeitos com a decisão da RBI. Quatro exchanges (Coindelta, Koinex, ThroughBit e CoinDCX) estão questionando a decisão da RBI na Suprema Corte. Outra exchange, a CoinRecoil está apelando na Suprema Corte de Delhi, acusando a RBI de violar a Constituição por meio da proibição. O tribunal admitiu este caso e um aviso foi emitido para o RBI para uma audiência em 24 de maio de 2018.

 

 

Siga-nos no Telegram   no WhatsApp   no Twitter

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]