As margens dos mineradores estão cada vez mais apertadas, o poder de hash diminui

A euforia pela mineração sofreu uma parada brusca na semana passada, quando o preço do Bitcoin caiu forçando uma queda de 20% no preço das redes. Na melhor das hipóteses, a maioria dos mineiros estão desligando os equipamentos e aguardando uma oportunidade, já que as margens tiveram um impacto de 30% no fim de semana em comparação com o início da semana passada. O declínio fornece um vislumbre de informações sobre as grandes margens de mineração como poder de hash, bem como a tendência de queda das receitas.

Junto com o preço, a mineração do Bitcoin também começou a declinar, agora vendo uma tendência de baixa, a primeira vez este ano. A queda no preço do Bitcoin está aparentemente afetando operações das mineradoras ainda maiores, tendo flutuado entre 40-60Mn TH / s desde agosto, quando atingiu o pico de 62Mn TH / s e as pequenas mineradoras começaram a não ver retornos.

Apesar das receitas das mineradoras ultrapassarem US$ 5 bilhões neste ano, duas grandes operações fecharam suas plantas, a BTCC Pool e a norte-americana Giga Watt, que entraram com pedido de falência na semana passada e deixaram dívidas enormes em seu rastro. Documentos judiciais vistos pela Coindesk expressam passivos estimados entre US$ 10 e US$ 50 milhões.

A tendência de baixa, no entanto, fornece alguma informação sobre as margens operacionais. Na melhor das hipóteses, a mineração no Antminer S9 e os custos de eletricidade no atacado, as mineradoras exigem uma margem bruta de lucro de 30 a 45% para ficarem on-line. Do pico do Hashrate em agosto até novembro, quando a energia começou a declinar, as mineradoras obtiveram uma margem bruta média saudável de 56%. Isso caiu para 39% na semana passada com o preço do Bitcoin forçando 20% dos mineradores a desligarem os equipamentos.

 

 

 

Siga-nos no Telegram   no Instagram no WhatsApp   no Twitter

 

Empreendedor, Cientista de Dados e cryptopesquisador.