Estudo Cryptowatch: Bitcoin, mercado e volatilidade

A capitalização total do mercado de criptoativos é de cerca de US$ 200 bilhões. Em novembro de 2017, a capitalização total era de US$ 800 bilhões, mas caiu novamente em novembro de 2018, atingindo US$ 100 bilhões. Este ano o valor máximo foi de US$ 380 bilhões, mas desde então caiu em 50%.

Comparativamente o mercado de criptomoedas é um dos menos relevantes diante de empresas tais como Apple e Microsoft, que valem US$ 1 trilhão ou com o mercado de imobiliário, que vale US$ 217 trilhões. Conforme dados compilados pela EduFinance, a partir de dados da HowMuch.net.

(Imagem: EduFinance)

No momento dessa redação, o valor de mercado das criptomoedas, é de US$ 197.61 bilhões, segundo a Coincap. 

A semana passada foi bastante volátil para o Bitcoin, pois a criptomoeda registrou uma reversão de US$ 6.750 para US$ 7.800 em dois dias, mostrando força e animando os mercados. Contudo, o volume caiu expressivamente na mesma semana, atualmente na faixa dos US$ 4.34 bilhões.

Um relatório da Digital Assets Data que analisou o movimento do Bitcoin e do ouro, nos últimos três meses, demonstrou um movimento correlacionado do Bitcoin em conjunto com o ouro e mostra uma movimento inverso em relação ao mercado de ações. Segundo dados publicados pela MarketWatch.

(Imagem: Digital Asset Data)

Mesmo tendo perdido muito valor de mercado desde sua alta histórica em 2017, o mercado de Bitcoin e blockchain continuam a crescer e mostram que os ciclos de crescimento e retração não impactam o crescimento de longo prazo desse ativo e dessa tecnologia. Como podemos ver no estudo da Statista, que mostra a circulação de Bitcoin.

(Imagem: Statista)

Portanto, mesmo com perda expressiva do seu marketcap, nos útimos dois anos, o Bitcoin segue se firmando como um ativo de valor intrínseco que se deve ser levado em consideração na tomada de decisão sobre investimento e reserva de valor.

Os críticos do Bitcoin, tais como Peter Schiff, famoso investidor de ouro, que costuma criticar publicamente o Bitcoin, quando este cai e o ouro se valoriza, por conseguinte. Pessoas como Schiff ignoram que as quedas críticas do Bitcoin, atualmente são menores que hás dois anos e o ativo permaneceu valorizado em 90% na maior parte da sua existência.

O  Bitcoin foi um investimento ruim em apenas 410 dias, diante dos 3.978 dias da sua existência. Afinal, o Bitcoin tem sido um bom investimento em 3.568 de 3.978 dias. Isso representa quase 90% do total de dias de sua existência. Segundo pesquisa realizada pela Long Hash.

Embora o Bitcoin tenha sido um bom investimento por quase 90% de sua existência, isso não significa que 90% dos detentores tenham registrado efetivamente algum lucro com seus portfólios. Muito mais pessoas compraram Bitcoin recentemente do que aqueles que compraram nos primeiros anos da criptomoeda. Portanto, quem comprou mais recentemente, não aproveitou todo o histórico de valorização do Bitcoin em sua média histórica. Leia mais aqui.

De acordo com Mark T. Williams, acadêmico e investidor de risco, em 30 de setembro de 2014, o Bitcoin apresentava volatilidade sete vezes maior que o ouro, oito vezes maior que o S&P 500 e 18 vezes maior que o dólar americano. No entanto, essa volatilidade vem caindo progressivamente, como vemos no gráfico abaixo.

(Imagem: Ladislav Mecir)

Segundo Thomas Lee, da Fundstrat, conforme a volatilidade do Bitcoin for caindo, seu preço se consolidará, tornando-o uma opção de investimento mais atrativa. Iniciativas como a da Bakkt, em lançar derivativos baseado em Bitcoin, fortalece o mercado e estabiliza o preço do Bitcoin, por fim.

 

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]