Especial CryptoWatch – Qual a real diferença entre Tokens e cryptomoedas?

Moedas, Tokens e Altcoins: Qual é a diferença?

Cryptomoedas podem ser extremamente difíceis de entender, especialmente porque sua tecnologia subjacente – o Blockchain – está envolta em linguagem e terminologia de computação que é técnica por natureza. Este é um enorme impedimento para muitos que estão interessados ​​no assunto, mas que são leigos sobre ciência da computação.

É importante frisar que todas as moedas ou tokens são consideradas cryptomoedas, mesmo que a maioria das moedas não funcione como moeda ou meio de troca. O termo cryptomoeda é equivocado se for usado generalisticamente para classificar qualquer cryptoativo, já que uma moeda representa tecnicamente uma unidade de conta, uma reserva de valor e um meio de troca. Todas essas características são inerentes ao Bitcoin, e como o espaço de cryptomoeda foi impulsionado pela criação do Bitcoin, qualquer outra moeda concebida depois do Bitcoin é geralmente considerada como uma cryptomoeda, embora a maioria não atenda às características de uma moeda real.

Altcoins

Cryptomoedas alternativas também são chamadas altcoins ou simplesmente “moedas”. Eles são frequentemente usados ​​de forma intercambiável. Altcoins simplesmente se refere a moedas que são uma alternativa ao Bitcoin. A maioria dos altcoins é uma variante (fork) do Bitcoin, construída usando o protocolo original de código aberto do Bitcoin com alterações em seus códigos subjacentes, portanto, concebendo uma moeda inteiramente nova com um conjunto diferente de recursos. Exemplos de altcoins que são variantes dos códigos de Bitcoins são: Namecoin, Peercoin, Litecoin, Dogecoin e Auroracoin.

Curiosidade: Uma bifurcação de software ocorre quando há uma mudança no protocolo de programação subjacente, resultando no “bifurcação” ou divisão do blockchain original. Isso geralmente resulta na criação de uma nova moeda. Existem diferentes tipos de forks, tais como: hard fork, soft fork e accidental fork.

Existem outras altcoins que não derivam do protocolo de código aberto do Bitcoin. Em vez disso, eles criaram seu próprio blockchain e protocolo que suporta sua moeda nativa. Exemplos dessas moedas incluem: Ethereum, Ripple, Omni, Nxt, Waves e Counterparty.

Uma característica comum de todas as altcoins é que cada uma delas possui sua própria blockchain independente, onde ocorrem as transações relacionadas às suas moedas nativas.

Curiosidade: A primeiro Altcoin foi o Namecoin, criado em abril de 2011. Trata-se de um sistema descentralizado de registro e transferência de informações de código aberto.

Tokens

Os tokens são uma representação de um ativo ou utilitário em particular, que geralmente reside em cima de outro blockchain. Os tokens podem representar basicamente quaisquer ativos que sejam fungíveis e negociáveis, desde commodities até pontos de fidelidade e até outras cryptomoedas.

Criar tokens é um processo muito mais fácil, pois você não precisa modificar os códigos de um determinado protocolo ou criar um blockchain do zero. Tudo o que você precisa fazer é seguir um modelo padrão no blockchain – como na plataforma Ethereum ou Waves – que permitem criar seus próprios tokens. Essa funcionalidade de criar seus próprios tokens é possível através do uso de contratos inteligentes; códigos de computador programáveis ​​que são auto-executáveis ​​e não precisam de terceiros para operar.

Um token pode cumprir uma ou várias das seguintes funções:

• Uma moeda, usada como um sistema de pagamento entre participantes

• Um ativo digital (um direito digital)

• Um meio de contabilidade (número de chamadas de API, volume de uploads de torrent)

• Uma participação (participação) em uma start-up específica

• Uma maneira de prevenir ataques (como comissão dentro da rede bitcoin)

• Pagamento por usar um sistema

Fato Curioso: Um modelo para criação de tokens é interessantíssimo, já que fornece uma interface padrão para interoperabilidade entre tokens. Isso torna muito mais fácil para se armazenar diferentes tipos de moedas dentro de uma única carteira. Um exemplo é o padrão ERC-20 na blockchain Ethereum, que é usado por mais de 40 tokens.

Resumo

A principal diferença entre altcoins e tokens está em sua estrutura. As altcoins são moedas separadas com seu próprio blockchain, enquanto os tokens operam no topo de um blockchain que facilita a criação de aplicativos descentralizados.

Um dos problemas de um setor tão novo e de ponta, em especial aquele que surge das bases, é que a regulamentação tende a ficar para trás da tecnologia. O mesmo acontece com a linguagem. Os termos são criados e evoluem à medida que são necessários, e nem sempre há um acordo claro sobre o que eles significam. Há questões discutíveis sobre as regulamentações desse setor e até mesmo as linguagens usadas para sua criação. A NEO por exemplo aceita diversos tipos de linguagens de programação para criação de seus aplicativos e smart contracts. Enquanto a Ethereum possui sua própria linguagem: a Solidity. Aqui nesse portal já escrevemos sobre as diferenças entre ambos os projetos.

Função vs forma

De forma geral, uma cryptomoeda é apenas: uma moeda ou meio de pagamento, enquanto um token tem uma funcionalidade mais ampla.

O propósito expresso de uma moeda é funcionar como dinheiro: como unidade de conta, reserva de valor e meio de transferência. As moedas tendem a tomar a forma de tokens de blockchain nativos como Bitcoin (BTC), Litecoin (LTC), Monero (XMR) e assim por diante, embora não precisem necessariamente.

Os tokens de blockchain têm valor, mas não podem ser considerados dinheiro da mesma maneira que uma moeda simples pode. Os tokens são geralmente hospedados em outro blockchain, como os protocolos Ethereum ou Waves que permitem aos usuários criá-los usando a moeda principal (por exemplo, ETH ou WAVES – embora haja algum debate sobre se ETH e Waves, se ambos agem como ‘combustível’ para seus sistemas, se são moedas da mesma maneira que o Bitcoin ou se são somente plataformas tecnológicas para tokeconomia).

Os tokens exigem que outra plataforma, como Ethereum ou Omni, exista e funcione. Primeiro, os tokens fornecem uma maneira não apenas de definir um protocolo, mas também de financiar as despesas operacionais necessárias para hospedá-lo como um serviço. O Bitcoin e o Ethereum possuem dezenas de milhares de servidores em todo o mundo (“mineiros”) que administram suas redes. Eles cobrem os custos de hospedagem com mecanismos integrados que distribuem automaticamente os prêmios de token aos computadores da rede (“recompensas de mineração”).

Segundo, os tokens fornecem um modelo para a criação de recursos de computação compartilhados (incluindo bancos de dados, computação e armazenamento de arquivos) enquanto mantém o controle desses recursos descentralizados (e sem exigir que uma organização os mantenha). Esta é a tecnologia blockchain que permite que os dados compartilhados sejam armazenados em uma rede descentralizada.

Os tokens oferecem funcionalidade além do dinheiro digital. Podem entregar valor aos investidores, além de retornos especulativos. Isso pode ocorrer de várias formas, embora normalmente através de recompras (já que os pagamentos de dividendos envolvem problemas regulatórios). Eles podem ser usados ​​para manter votos da comunidade em decisões de negócios importantes ou até mesmo mudanças técnicas na plataforma. Modelo adotado nos cryptoprojetos baseados em serviços bancários/financeiros, tais como: Polybius, Bankorus, Bankera e ChronoBank.

Linhas de diferenças muito tênues

Na prática, a linha entre moedas e tokens não é clara e nítida. Ambos são usados ​​para transferir valor, como meio de pagamento, de maneira similar a qualquer moeda fiat, quanto as ações são usadas para recompensar as pessoas pelo trabalho executado por uma empresa ou produto. É possível hospedar moedas como tokens nas plataformas 2.0, como é o caso da LH que se propõe a ser uma plataforma de Forex rodando sobre o blockchain da Ethereum.

O fato é que para a grande maioria das pessoas os termos são sinônimos, apesar da diferença básica como apresentamos nesse artigo. Os termos “moeda” e “token” são frequentemente usados de forma intercambiável. Na prática, existem algumas diferenças … mais ou menos.

 

Siga-nos no Telegram   no WhatsApp   no Twitter

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]