NEO vs Ethereum: principais diferenças entre as plataformas econômicas de ambas.

Atualmente, quase todas as ICO são baseadas em tokens ERC20 e o criador do Ethereum Vitalik Buterin é uma das maiores mentes do nosso tempo. Mas em um país chamado China, joga-se por suas próprias regras: lá eles usam Alibaba ao invés vez de Amazon, WeChat ao invés de WhatsApp, NEO ao invés de Ethereum. O país do Dragão Vermelho está acostumado a usar suas próprias tecnologias, e não se preocupa muito com o que o Ocidente está fazendo. Mas no nível global da criptoeconomia, surge-se a questão: NEO pode competir com o Ethereum?

Ambos os candidatos querem se tornar plataformas para uma nova Internet: para aplicações descentralizadas (DApps), ICO e contratos inteligentes.

Ao mesmo tempo, seus objetivos diferem.

O objetivo do Ethereum é tornar-se uma plataforma de grande sucesso para o desenvolvimento de aplicações descentralizadas, que, no final, levará à criação de uma Internet 3.0 mais acessível e confiável. Atualmente é a plataforma que chegou mais perto do seu objetivo, pois possui o mercado de aplicações descentralizadas. Sua missão é oferecer aos usuários e desenvolvedores mais controle e mais opções ao desenvolver aplicativos.

Objetivo da NEO é usar tecnologia do blockchain e identificação digital para digitalizar ativos, automatizar a gestão de ativos digitais usando contratos inteligentes para implementar o conceito de economia inteligente com base no princípio de uma rede distribuída. O NEO está ocupado desenvolvendo produtos para o futuro.

É importante entender que ambas as plataformas possuem as mesmas capacidades, mas as diferenças em seus objetivos desempenham um papel fundamental.

 

A complexa rede do NEO

OnChain

Os fundadores do NEO, Da Hong Fei e Erik Zhang fundaram uma empresa chamada OnChain. Compreender o OnChain é fundamental para a compreensão do que é o NEO. Não se trata da mesma empresa, mas seus interesses se alinham e eles têm uma parceria em conjunto. O sistema OnChain, conhecido como DNA (Arquitetura de Rede Descentralizada) tem como objetivo trabalhar com empresas e governo chineses. NEO atua como o fundamento do DNA. Se a OnChain pode se integrar com as empresas chinesas e o governo, isso incentivará grandemente a adoção do NEO.

Em última análise, o DNA desenvolve blockchains públicas e privadas para empresas. Esses blockchains ligam-se ao NEO para se juntarem à economia descentralizada. Pense em NEO fornecedor de blockchains públicas e DNA de OnChain fornecendo as blockchains privadas. Então, eles se mesclam e obtém o melhor dos dois mundos.

OnChain também tem vários projetos e parcerias ​​que contribuem para o ecossistema de DNA:

– Primeira empresa chinesa baseada em blockchain a se juntar à Hyperledger – uma colaboração de projetos que trabalham na integração de blockchains com empresas estabelecidas.
– Trabalho com a Microsoft China na digitalização e segurança de assinaturas via tecnologia blockchain.
– Parceiro estratégico da Microsoft China em projetos.
– Projeto desenvolvido com o Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão.
– KPMG’s Top 50 Fintech Company na China.
– Parceria com a Alibaba para fornecer um serviço de certificação de e-mail para Ali Cloud.
– Investimento do Grupo Fosun – maior conglomerado privado da China – para integrar a OnChain em seus negócios.
– Colaboração com o governo regional chinês – usando OnChain para desenvolver serviços públicos e identidade digital.
– O recente desenvolvimento da OnChain foi da Ontologia da OIC. A Ontologia usa a mesma arquitetura que o NEO, mas, em última instância, trabalha com empresas na criação de uma rede privada de dados criptografados. Essencialmente, isso é importante quando temos informações que precisamos de proteção, mas também precisamos que seja privado.

O que é uma economia inteligente?

A maior diferença entre NEO é que esta se concentra na chamada economia inteligente. A economia inteligente envolve ativos físicos digitalizados ou a simples tokenização de ativos diversos. Esses ativos podem ser vendidos ou trocados usando contratos inteligentes. A visão do NEO é a criação total de uma sociedade baseada em algoritmo e ela sendo a plataforma dessa sociedade. Contudo, como tudo ligado à China, não se entende que seja uma plataforma isenta de influência estatal. Há muitos rumores que ligam o projeto a membros do alto escalão do PC chinês. É muito provável que o projeto NEO, seja um projeto estatal ou fomentado pela governo chinês.

Nesse sentido, o NEO presta especial atenção ao cumprimento dos requisitos regulamentares. Vejamos os pontos que a plataforma faz por isso.

 

Identidade Digital

Hoje, a identificação digital é baseada em um sistema chamado PKI (Public Key Infrastructure) X.509. O plano do NEO é o lançamento de identificadores digitais de acordo com este padrão usando um sistema de bloqueio. Os registradores terão identificadores digitais e nomes reais. Isso é necessário para o registro de ativos financeiros na rede e o cumprimento dos requisitos regulamentares. Ou seja: não há anonimato na rede NEO.

A NEO já possui uma parceria estratégica com a THEKEY, um projeto desenvolvido na plataforma NEO, que irá apoiar a implementação da identificação digital.

E quanto ao Ethereum? Ele fornece aplicativos descentralizados com a capacidade de desenvolver identificadores digitais, que podem ser protegidos em seu blockchain. Não se trata de um sistema tão diferente de como o NEO funciona, no entanto, a NEO demonstra claramente que a integração da identidade digital desempenha um papel fundamental no ecossistema da plataforma.

Ativos Digitais

A partir do momento que estamos falando e até almejando uma sociedade baseada em software, totalmente digitalizada e digitalizável. Para isso, deve haver uma maneira de digitalizar, por exemplo, a propriedade de uma casa ou carro; ouro, diamantes e outras jóias; computadores, roupas, comida e até mesmo coleção de discos de vinil e até mesmo adegas com vinhos centenários. Os contratos inteligentes podem se tornar ferramentas poderosas se tiverem a capacidade de digitalizar todos esses recursos.

E quanto ao Ethereum? Como o NEO, o Ethereum pode proteger os ativos digitais, mas essa proteção não atende ainda necessariamente aos requisitos regulamentares. O NEO está garantindo isso.

Protocolos

O Ethereum usa protocolo POW e planeja mudar para Proof of Stake. O NEO usa o protocolo dBFT (Delegated Byzantine Fault Tolerance), que é uma modificação do protocolo Proof of Stake.

Teoricamente, o protocolo NEO permite processar transações muito mais rápido do que do Ethereum: 10.000 transações por segundo em comparação com 30 transações por segundo. Mas, na prática, NEO realiza 1000 transações por segundo e as transações Ethereum: 15.

Esta é uma enorme diferença e uma grande vantagem do NEO. Essa velocidade realmente permite que o NEO se torne uma plataforma para uma economia inteligente. Enquanto o a rede do Ethereum diante da situação atual não pode fazer isso Vitalik e a equipe estão bem conscientes do problema e estão trabalhando ativamente em soluções que podem eliminar esse gargalo.

No Ethereum, como no Bitcoin, há sempre a probabilidade de algum fork ocorrer. Quanto ao NEO, não há margem para fork.

 

Tokens

O GAS da rede Ethereum, necessário para o funcionamento da rede(cumprimento de contratos, transações, etc.), representa apenas pequenas unidades de éter. Não há separação entre ETH e GAS.

No NEO, também há um token GAS necessário para a operação da rede, contudo este é separado do token NEO. Possuir o token NEO implica propriedade parcial da plataforma NEO. Proprietários de tokens NEO têm o direito de voto. O uso de NEO como uma participação na empresa, ao invés de um token, contribui para o fato de NEO ser indivisível. NEO não é uma moeda de transação: existe um GAS para isso, que é usado para todas as operações na rede. Quando uma empresa registra ou muda ativos, paga-se com GAS, que é então distribuído a todos os detentores de NEO. Qualquer um pode reivindicar este GAS simplesmente segurando NEO em sua carteira pessoal (NEON).

Os registradores têm o direito de cobrar uma comissão (em GAS) para todas as transações no bloco, que eles processaram. No entanto, ao compartilhar NEO e GAS, há um incentivo para manter as comissões em um nível baixo, uma vez que as taxas elevadas que os registradores recebem desencorajam as pessoas de investir seus ativos. Quanto menos ativos, menos recompensas serão recebidas pelos proprietários do NEO. Assim, os proprietários de NEO são encorajados pela votação de registradores, que manterão as comissões baixas. Os registradores(são como o mineiros na rede Bitcoin)possuem 66% da rede em seu poder e em consenso, de modo que é quase impossível haver um fork, por conta disso.

Ainda não está claro como a recompensa será distribuída entre os registradores quando mudar para Proof Of Stake. Provavelmente, apenas os grandes detentores poderão receber recompensas.

A Língua do contrato inteligente

A principal diferença entre os contratos inteligentes do Ethereum e NEO está nas próprias linguagens de programação. No Ethereum, os contratos devem ser escritos em Solidity, especialmente criada para o uso do Ethereum (recentemente anunciada a Vyper, em desenvolvimento). O NEO suporta cinco linguagens de programação(C#, C++, Java, Python e Kotlin)com planos para oferecer suporte para mais cinco.

Execução de um contrato inteligente

Os contratos inteligentes utilizam as chamadas máquinas virtuais (VMs), que funcionam dentro de computadores de mineiros ou outros validadores. Em outras palavras, a VM é o ambiente em que o contrato inteligente funciona.

VM NEO otimiza o código do contrato inteligente antes de executá-lo. Isso significa que ele leva o código e reorganiza-o para torná-lo mais eficiente. Imagine uma lista de produtos. As posições nela não possuem uma organização, mas, se você dividir todos os produtos em categorias que estejam no mesmo departamento da loja, tudo se tornará mais rápido e fácil. NEO faz isso; Ethereum – não.

Diferenças adicionais

A plataforma NEO é teoricamente compatível à computação quântica. O Ethereum não é. Quando os cálculos quânticos se tornarem bastante comuns, qualquer tecnologia baseada em blockchain, rede cryptográfica ou token podem tornar-se vulneráveis da noite pro dia.
Sk-Snarks: protocolo base do ZCash, também já disponível ao Ethereum, garantindo mais uma camada de anonimato ao usuário, garante a confidencialidade de dados ou contratos. O NEO não possui tais oportunidades.

Conclusão

Se resumimos brevemente, o NEO é similar ao Ethereum, mas com um objetivo mais específico: assegurar o desenvolvimento de uma economia inteligente. O Ethereum também é uma plataforma para desenvolvimento e inovação de negócios: seus objetivos dependem das pessoas que o utilizam.

 

Esse é artigo destina-se só e somente ao esclarecimento sobre ambas tecnologias. Não havendo aqui qualquer interesse em promover esta ou aquela tecnologia, nem há recomendação de compra ou investimento em ambos.

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]