Uma breve análise sobre a recompensa atual e futura na mineração de Bitcoins

Durante a mineração de Bitcoins, os blocos são extraídos em média a cada 10 minutos. No entanto, com a taxa na qual o hashrate vem aumentando, na realidade, eles são extraídos cada vez mais rapidamente, esse cenário tem sido frequente desde 2019, onde tem sido minerado mais do que previsto, todos os últimos meses.

Total extraído:

Previsto: 739.800

Real: 763.688 (+3,2 %)

Para tornar a visualização desse fenômeno ainda mais clara, vejam o gráfico abaixo:

Imagem

Contudo, há uma curva de desempenho que vem se formando e antecede o halving. Essa curva diz respeito a binômio: hashrate vs desempenho.

 

Imagem: Cryptowatch

A linha vermelha refere-se ao hashrate, enquanto a linha azul ao desempenho da mineração, quanto mais se aproxima do halving. As discussões referentes ao pós-halving, tem sido ignoradas por quase todos os analistas, que passam a maior parte do tempo vendendo a ideia de haverá um boom de preço do Bitcoin, imediatamente após o halving. Isso não aconteceu, com o Litecoin, por exemplo há alguns meses.

É possível sem dúvida, que haja um forte rally, pré e pós halving, mas nada que garanta uma subida a valores estratosféricos, justamente porque não sabemos como os mineradores irão se comportar com a queda da recompensa, custos operacionais elevados e obsolescência programada das máquinas. Existe a possibilidade de muitos mineradores desligarem suas máquinas, diante da queda das recompensas e custos operacionais escalonantes. 

Como foi publicado esses dias no Cointelegraph, o custo de mineração pode vir a custar US$ 15 mil em média, enquanto hoje está girando na faixa dos US$ 4 mil a US$ 6 mil. 

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]