Hash power do Bitcoin sob radar

A capitalização de mercado está na casa dos US$326 bilhões, lembrando que em dezembro ela chegou a bater os surpreendentes US$800 bilhões. Essa expressiva queda é resultado direto de grandes quedas nos preços do Bitcoin e quase todas as Altcoins. Além das quedas na ação do preço e na capitalização de mercado, há uma área em que estamos vendo crescimento e que está na taxa de hash. Isso pode nos levar a acreditar que os mineiros sabem algo que não sabemos.

Olhando para o gráfico no Blockchain.info, vemos um aumento muito constante na taxa de hash durante os meses que antecederam e após o sell-off do mercado. Olhando para um gráfico do total de capitalização de mercado de criptomoeda e taxa de hash lado a lado mostrará uma clara divergência. Por que é que a taxa de hash está aumentando enquanto os preços ainda estão em um declínio contínuo?

Apesar das quedas constantes nos preços, a taxa de hash do Bitcoin aumenta constantemente.

 

Em termos reais, isso representa um número crescente de mineiros que entram na rede Bitcoin.

 

Tudo em face da queda dos preços, o fervor pela mineração do Bitcoin só aumentou. Um número crescente de indivíduos e instituições aloca seu tempo, recursos e recursos financeiros à tarefa – e essas despesas não são desprezíveis. Segundo cálculos do engenheiro Geraldo Feitosa, no final do ano o Bitcoin terá absorvido a eletricidade consumida por um país como a Áustria, ou 0,5% de toda a eletricidade produzida no mundo.

“Pode parecer pouco, mas a energia solar responde por 1% da eletricidade total. E foram necessárias décadas para que atingisse essa porcentagem. Em apenas um ano, o consumo agora dispara e ninguém sabe aonde pode chegar”, diz ele, do outro lado da linha no Paraguai. Local mais barato na América do Sul para se minerar Bitcoin.

Embora os custos variem dramaticamente através das fronteiras, a mineração de uma única unidade de BTC custará milhares de dólares ao menor nível – ou US$26.170 por moeda no caso da Coreia do Sul.

Muitos consideram uma taxa de hash crescente como indicativo de um preço saudável.

A explicação é simples: a taxa de hash do Bitcoin pode ser considerada um dos indicadores mais fortes do sentimento em relação à cryptomoeda. Ou seja, quanto mais dedicam seus esforços à mineração de Bitcoin, mais isso antecipa o movimento de alta.

Se fosse o contrário, uma taxa de hash descendente seria considerada um mau presságio pela maioria – mineiros pulando fora do barco ao perderem a fé no valor da moeda.

No entanto, equipamentos monolíticos como os do BTC.com – que sozinho representa 23,5% de toda a potência de mineração de Bitcoin – continuam a todo vapor. Leia mais sobre poder de computação da rede Bitcoin aqui.

O índice Bitcoin caiu 17,58% nos últimos 30 dias.

 

É sempre bom frisar a quem se interessa por mineração que as operações de mineração industrial exigem investimento industrial. Um exemplo disso é a potência financeira da Bitmain que evoluiu para uma corporação multinacional em três países. Quem investiu dinheiro na Bitmain não teve do que reclamar, mesmo com a queda dos preços do Bitcoin. As vendas dos ASIC’s não vislumbrou crises. Como publicado aqui em primeira mão nesse portal.

Não se pode dizer com certeza que esses mineiros corporativos sejam profetas do Bitcoin, mas seus investimentos parecem falar muito. Além de defender a integridade da rede Bitcoin, a atividade de mineração pode ser considerada um arguto vislumbre do futuro da moeda.

Preço atual Previsão para 1 ano Previsão para 5 anos

$7,358.84 

$42,630.75

$240,349.25

 

Siga-nos no Telegram   no WhatsApp   no Twitter

 

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]