Especial Cryptowatch: A tokenização do mercado esportivo

A indústria do futebol ou, como os americanos preferem dizer, a indústria do “footballl”, vem lentamente adotando criptomoedas. Embaixadores da marca, comerciais da blockchain durante o intervalo, patrocínio de camisas e propagandas de embarque comercial criptografado são algumas das tendências que estamos vendo na indústria mundial do futebol.

Neste artigo, vou elaborar sobre a indústria e as tendências que estamos vendo atualmente. Espero que a adoção da criptomoeda na indústria do futebol continue a crescer, pois ainda há muitos projetos que levantaram uma enorme quantidade de fundos, dos quais uma grande parte será direcionada para o marketing.

 

Lionel Messi, por alguns considerado, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, tornou-se um embaixador da marca para o Sirin Labs. O Sirin Labs, fabricante de dispositivos de hardware baseado em blockchain, levantou US $ 157.000.000 para desenvolver e comercializar vários dispositivos inteligentes altamente seguros, como seu smartphone blockchain, com uma carteira fria embutida, chamada FINNEY ™ uma referência ao suposto criador do Bitcoin, Hal Finney.

 

O belga, Eden Hazard e o argentino Sergio Aguero uniram forças para promover a plataforma de tokenização, que visa construir um blockchain focado no lançamento de aplicativos digitais relacionados a esportes.

O ex-jogador do Chelsea, Didier Drogba, tornou-se um embaixador da marca para a plataforma All Sports Chains, que se concentra em operações baseadas na tokenização do esporte.

O mercado de predição de resultados também está aquecido e já conta com garotos propagandas também do futebol, como Luiz Suarez, da seleção uruguaia.

 

 

Comerciais e patrocínios

A Hdac, uma subsidiária da Hyundai baseada na Internet das Coisas (IoT), lançou um ICO no ano passado para levantar capital para sua inovadora plataforma blockchain. Durante a Copa do Mundo da FIFA na Rússia, eles mostraram seu comercial durante o intervalo:

Plataforma de investimento online  eToro, que tem uma base de usuários de 9 milhões de usuários em todo o mundo, assinou um contrato com a Liga Inglesa para diversas atividades patrocinadas. Além de investimentos regulares, o eToro também oferece o comércio de cryptomoedas.

 

A plataforma de câmbio de ativos digitais COSS também tem anunciado na Liga Italiana de Futebol da Série A.

O projeto Libereum que quer se concentrar no crescimento de uma grande rede na indústria do esporte e quer comprar o holandês JodaFC, como parte sua estratégia de se criar uma liga no qual a adoção de tecnologias baseadas em blockchain e tokens serão a base dos negócios.

 

O Wolverhampton Wanderers FC associou-se a CoinDeal, uma exchange polonesa. A partir desta temporada, a CoinDeal será seu patrocinador de camisetas.

Além de ‘The Wolves’, o Arsenal também tem um patrocinador ligado à cryptomoedas que é o site de apostas CashBet.

Cashbet Coin shirt held up by first team players

 

Uma equipe do Gibraltar Premier Division, o Gibraltar United será o primeiro clube de futebol que pagará os seus jogadores com tokens, a partir da próxima temporada. Os tokens são do projeto Quantocoin.

O token Quantocoin que o Gibraltar United usará para pagar jogadores foi construído no blockchain Waves. O projeto ainda não terminou sua fase de ICO. Foi lançado no mês de julho e durará até o final de abril de 2019.

O NewsBTC relatou na equipe da NBA o Sacramento Kings se tornando o primeiro clube esportivo profissional a minerar cryptomoedas. A equipe criou um data center dentro de sua arena de última geração dedicada a arrecadar dinheiro através da mineração de ethereum para ajudar causas de caridade locais.

 

A Major League Baseball juntamente com a Lucid Sight lançaram um jogo comercial colecionável na rede Ethereum, o MBL Crypto Baseball. Os Dodgers de Los Angeles, também embarcaram no projeto, lançando um token próprio além do jogo.

Jogadores de futebol com seu próprio token?

A plataforma SelfSell, que tem como objetivo tokenizar as pessoas, permitiu que James Rodriguez lançasse seu próprio token, o JR10. A Selfsell também lançará a SelfDax, uma exchange descentralizada que permite que tokens personalizados da SelfSell sejam negociados na plataforma. O JR10 será um dos tokens que podem ser negociados na bolsa. O objetivo do token JR10 e seu principal benefício para os detentores e ainda não foram tornados públicos.

O ex-jogador da seleção inglesa, Michael Owen, também está lançando seu próprio token, convenientemente chamado de OWN. Está cotado em US$ 10, – por token. Michael Owen investiu pesado em projetos de cryptomoeda, como o Global Crypto Offering Exchange (GCOX) baseado em Cingapura.

ICOs

A London Football Exchange (LFE) executou um ICO na qual supostamente arrecadou mais de 70.000.000 dólares no início deste ano para lançar a primeira Bolsa de Valores do Mundo de Futebol do mundo. Eles planejaram levantar US$ 350.000.000, já que era o hardcap do projeto.

Dois clubes de futebol do Reino Unido, Newcastle United e Cardiff City estão pesquisando a possibilidade de lançar um ICO também. Ambos os clubes não estão na melhor posição financeira, então pediram à SportyCo, plataforma de investimento esportivo e financiamento, que estudasse a opção de lançar um ICO para os clubes. Os tokens serão classficados como Security Tokens(STO), o que significa que os investidores obteriam valor real na forma de ações da empresa, dividendos ou poder de decisão. Leia mais sobre STO aqui.

A SportyCo também está envolvida com o ICO do Avai Futebol Clube para arrecadar 20 milhões de dólares na venda do seu token, o AVAI. Como noticiamos em primeira aqui nesse portal. Ronaldinho Gaúcho também lançou seu próprio token e faz parte do board do SportyCo.

De acordo com o anúncio de lançamento, a Ronaldinho Soccer Coin será utilizada para projetos ligados ao futebol. Veja o vídeo de lançamento:

 

Inicialmente, a moeda lançado pelo Ronaldinho Gaúcho também patrocinará “estádios virtuais”, que realizarão disputas de e-sports. Além disso, a iniciativa afirma que estabelecerá parcerias para utilizar tecnologias como inteligência artificial e realidade virtual.

Em julho, o Atlético Paranaense estabeleceu uma parceria com a empresa Inoovi para trabalhar com cryptomoeda própria, a IVI. De acordo com a ESPN, ainda não está certo como o Atlético-PR fará uso da IVI, mas o clube divulgou que “planeja realizar contratações e pagar salários com moeda virtual”.

A socios.com está iniciando uma Oferta de Token de Fã (FTO) para o Paris Saint Germain, no qual eles arrecadam dinheiro em troca de tokens de utilidade.

Futuro

Com uma base de fãs de cerca de 3,5 bilhões de pessoas em todo o mundo, a indústria do futebol pode ser um grande fator para acelerar a adoção das cryptomoedas e serviços e produtos financeiros relacionados. Fortalecendo assim a Cryptoeconomia.

 

                           Negocie Bitcoins com a melhor plataforma do Brasil – Brasil Bitcoin. 

Siga-nos no Telegram   no Instagram no WhatsApp   no Twitter

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]