Correlação entre ouro e Bitcoin é fraca

Há uma forte narrativa entre os entusiastas de que há uma correlação entre o ouro e Bitcoin. Ambos são ativos raros, caros de se obter e com características de reserva de valor para momentos de crise, popularmente conhecido.

Contudo, o Bitcoin não está imune ao impacto negativo da crise comercial entre EUA e China, a queda de juros americanos e à desvalorização do Yuan – ele também sofreu com o declínio nos rendimentos globais e aumento do preço do ouro. As qualidades intrínsecas do Bitcoin indicam que ele poderia efetivamente servir como um ativo de refúgio seguro – particularmente sua natureza descentralizada, tornando-o imune ao controle e aos erros de política de qualquer instituição centralizada, bem como à sua alta relação estoque-fluxo. Analisado sob essa lente, ele compartilha muitas qualidades com o ouro, e é teoricamente sólido e lógico fazer a comparação entre o Bitcoin e o ouro.

Esta teoria, combinada com um olhar sobre a ação do preço no acumulado do ano, deu nova vida ao Bitcoin como uma narrativa segura. De fato, o declínio nas taxas de juros reais e as crescentes preocupações com a instabilidade geopolítica levaram o ouro à valorização acumulada dos últimos seis anos e, como diz a narrativa, também levaram o Bitcoin a se recuperar rapidamente de suas baixas.

Olhando para o gráfico dos preços do Bitcoin e ouro pode-se facilmente chegar à conclusão de que existe alguma relação positiva. Os coeficientes de correlação, uma estatística resumida que é simples de interpretar e calcular, é comumente usada para fornecer uma medida objetiva do relacionamento linear entre duas séries temporais. Apesar do uso generalizado da correlação e sua facilidade de interpretação, há muita propensão a seu uso indevido e se deixar levar por equívocos. Alguns analistas calculam erroneamente a correlação usando os preços (ou nível) e não os retornos (ou mudanças) das duas séries temporais. Tal análise pode levar a conclusões enganosas. Nossa análise usa retornos diários para calcular um coeficiente de correlação economicamente significativo.

Os dados reais fornecem apenas suporte moderado para a narrativa de refúgio seguro. Uma análise de uma correlação de rolagem de 90 dias indica que o retorno do Bitcoin e do ouro tem sido historicamente não correlacionado com valores que oscilam em torno de zero. Curiosamente, a correlação tem aumentado constantemente desde o início deste ano, como seria de esperar a teoria. A correlação atual é +0,20 – alta em relação ao seu intervalo histórico e aumentando, mas ainda baixa em uma escala absoluta, onde os coeficientes de correlação podem variar de -1,0 a + 1,0.

Em seu último boletim informativo “State of the Network”, a Coin Metrics mostrou que o coeficiente de correlação do Bitcoin e o ouro em 90 dias permanece fraco apesar de ser alta em relação ao seu intervalo histórico. A correlação atual de +0,20 e está aumentando constantemente desde o começo deste ano.

“Tal resultado deve fazer com que os participantes do mercado examinem criticamente a narrativa do porto seguro e tenham a mente aberta à possibilidade de que a relação entre Bitcoin e ouro seja espúria”, escreveu a Coin Metrics. “Embora apoiado por uma forte teoria e pela presença de evidência convincente de que o Bitcoin e o ouro respondam de forma semelhante a eventos geopolíticos específicos, uma análise de correlação apropriada sugere que a relação entre os dois é fraca”.

A narrativa do Bitcoin é correlacionada ao ouro pareceu um pouco mais confiável em um prazo mais curto: a correlação atual de 30 dias, que produziu um coeficiente de correlação de +0,49.

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]