Bitcoin está se aproximando da”cruz da morte”. Veja o que isso significa.

Bitcoin manteve seu viés de queda, caindo abaixo de US$ 8.000 esta semana. Há algo nos gráficos que tem levado muitos investidores a apertar o botão de pânico. Justamente esse efeito,mais as mãos de alface, se somado às notícias ruins para criar esse clima de maré baixa nos mercados.

O preço da moeda digital número 1 subiu na segunda-feira, com o bitcoin procurando recuperar algumas perdas da semana anterior, que levou seu preço de US$8.000 para menos de US$ 6.500. O Bitcoin está sendo negociado agora, no momento dessa redação em US$7.384,11, uma alta de 6,13%.

A pressão de venda no final de semana formou a tão falada “cruz da morte”, uma formação de gráficos em que a média móvel de 50 dias ultrapassa a média móvel de 200 dias. O indicador é geralmente considerado como um sinal negativo, com momentum de preço de curto prazo agora abaixo das tendências de longo prazo.

E no caso do Bitcoin, a média móvel de 50 dias já eliminou a média de 100 dias, com a linha de tendência de curto prazo avançando lentamente.

 

No entanto, o preço do Bitcoin BTC/USD, subiu + 4,91% acentuadamente desde a formação da chamada cruz da morte, sugerindo que a antecipação da cruz pode ter causado uma armadilha para os ursos, pegando de surpresa aqueles que apostam em novas quedas. Além disso, o Bitcoin está no nível mais vendido em uma base de índice de força relativa, ou RSI, desde que a transação foi abaixo de US$ 6.000 em 6 de fevereiro.

Quando estamos falando de Bitcoin e outras cryptomoedas, é importante frisar que não temos muito histórico para identificar tendências de longo prazo.

Mas nem todos acreditam que uma cruz da morte sinaliza mais quedas à frente. O operador de “Fast Money” Brian Kelly aponta que ele vê uma tendência de alta no gráfico de Bitcoin que está em jogo desde agosto, e acha que a mesma tendência de alta poderia ser apenas indicativa de onde o Bitcoin está indo.

“O Bitcoin, assim como os mercados de câmbio à vista, segue as técnicas de aproximação, portanto esses níveis de suporte ganham mais importância. Se esses níveis se mantiverem, confirmará que a tendência de alta de agosto ainda é válida”.

A última vez que o padrão da cruz de morte ocorreu com o Bitcoin foi em setembro de 2015. Após a morte de US$600 o Bitcoin foi para US$220 e se recuperou fortemente em novembro daquele ano.

 

 

O Bitcoin despencou cerca de 38% no acumulado do ano, mas ainda precisa cair mais 88% para apagar todos os ganhos de 2017.

 

 

                       Conheça nosso canal no Telegram
%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]