Bife movido à blockchain? Sim, já há produção de bovinos powered by blockchain

No estado do Wyoming nos EUA, fazendeiros se juntaram à BeefChain, para criação de um blockchain com o objetivo final de conectar a cadeia de fornecimento de gado local.

Para dar uma ideia do escopo potencial do consórcio blockchain da BeefChain, aproximadamente 11.400 fazendas de Wyoming geraram US $ 1,1 bilhão em vendas de gado no ano passado, tornando-se o 14º maior produtor entre os estados americanos. Este é o estado menos povoado da América, que abriga cerca de 579.315 pessoas e 2,1 milhões de bovinos.

De acordo com o senador do Wyoming, Odgen Driskill, a tecnologia blockchain pode ajudar a capturar e proteger todas as etapas da cadeia de suprimentos. Se as fazendas de Wyoming puderem provar ao comprador final que se trata de gado certificado e criado em pasto – ao invés de gado criado em currais apertados, eles podem ganhar um prêmio de até US$ 700 por cabeça, ou quase 30%. Nos EUA, produtores rurais recebem fortes subsídios.

A BeefChain ainda está nos primeiros estágios de desenvolvimento, Driskill inaugurou o projeto em 15 de maio, marcando 323 bezerros de seu rancho com tags RFID, que em breve estarão ligados ao blockchain da Beefchain.

O BeefChain Project é parte de um esforço do Wyoming para se posicionar no comando da revolução dos cryptoativos, baseados em STO(Security Tokens). Como já reportamos aqui nesse portal. Os co-fundadores Rob Jennings e Tony Rose fizeram uma parceria com a ex-diretora administrativa da Morgan Stanley e ex-presidente da Symbiont, Caitlin Long, para iniciar o próximo passo, que será a adoção comercial em escala, dessas tecnologias.

O uso de blockchain para rastrear gado é o exemplo perfeito de por que é importante mesclar a velha tradição da indústria agrícola com as tecnologias emergentes de hoje. Com blockchain, dados como a grama que o gado foi alimentado, que tipo de vacina recebeu e se ficou doente estará disponível para qualquer pessoa ver. Os pecuaristas que fazem parte do consórcio blockchain da BeefChain acreditam que sua marca de carne bovina será muito superior. Esse projeto, se aproxima de um projeto, baseado no tangle da IOTA e em uso na Noruega, como reportamos em primeira mão aqui nesse portal.

Esse tipo de rastreabilidade permaneceria com a carne até a prateleira para que o cliente pudesse escanear um código e ver todas as informações. O mercado mundial de carne bovina já exige esse nível de transparência.

Como acontece com qualquer outra tecnologia, o “uso indevido ou manipulação” de dados é um aspecto que precisa ser explorado e tratado. Por exemplo, um fazendeiro poderia facilmente usar etiquetas RFID para rastrear pontos de dados e depois manipulá-los para elevar os preços da carne bovina.

Com o BeefChain, há pouco ou nenhum espaço para excluir ou alterar esses pontos de dados. Até o final do próximo ano, os consumidores poderão ir a uma loja, escanear um código QR e conhecer sobre a carne antes de comprar.

Nos últimos meses, cerca de 200 novas empresas baseadas em blockchain surgiram em Wyoming, de acordo com registros estaduais.

O governador republicano do estado, Matt Mead, diz que blockchain para rastrear carne bovina pode se tornar uma “quarta perna” da economia de Wyoming, atrás do turismo, energia e agricultura. A tecnologia do blockchain já está sendo aplicada em muitos cases interessantes, como já reportamos aqui nesse portal. Agricultura e blockchain é a mistura perfeita. Ainda veremos muita coisa boa acontecendo nos próximos anos.

 

 

Siga-nos no Telegram   no WhatsApp   no Twitter

 

 

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]