Seguindo rumores de banimento, Bitcoin atinge menor cotação nesse final de semana.

O Bitcoin tem passado semanas difíceis. Após um breve período sendo negociado a US$10.000, o Bitcoin afundou na quarta-feira passada em mais de US$1.000 após o anúncio do Google de que proibiria os anúncios relacionados às ICO até junho. Infelizmente, apesar de algumas pequenas subidas entre US$ 8.100 e US$ 8.500, o preço caiu para um mínimo de US$7.600.

O movimento provavelmente decorre do recente anúncio do Twitter de que começaria a proibir os anúncios ligados à cryptomoedas nas próximas duas semanas, como anunciamos aqui. O Twitter acabará se tornando o terceiro principal player a atacar o Bitcoin após o Google e o Facebook em janeiro passado anunciarem a mesma atitude.

O marketing e a conscientização em torno das cryptomoedas provavelmente cairão fortemente, agora que as três empresas estão virando as costas às estratégias de marketing. Trata-se de um movimento infeliz para dizer o mínimo, e é provável que tenha sérias repercussões. O Bitcoin não conseguiu se recuperar da profunda queda em janeiro desde que atingiu quase US$20 mil em dezembro passado. A mineração já não é considerada rentável, e muitos investidores aparentemente perderam interesse ou não estão prestando tanta atenção ao Bitcoin e as demais cryptomoedas.

O Twitter também mencionou que pode proibir anúncios em relação às exchanges. Mas quanto a isso ainda não há nada definido.

A queda livre do Bitcoin, levou todo o mercado consigo. O Ether que no início da manhã de domingo, estava cotado abaixo de US$ 500 – primeira vez desde o ano passado – depois que a Securities and Exchange Commission afirmou que estava desencadeando várias investigações sobre ICOs não regulamentadas. O preço caiu quase 20%, de US$ 580 para US$ 470. No momento, a moeda recuperou um pouco e está pairando em cerca de US$ 527. O Litecoin: US$ 151, e o XRP da Ripple ficou dentro da faixa de US$ 0,65.

Enquanto isso, há quem esteja otimista e veja muita luz no fim do túnel. Como é o caso Thomas Lee, da Fundtrat, que afirma que, com base no desempenho do Bitcoin após os dips passados ​​e atuais, ele acredita que o Bitcoin poderá atingir até US$ 91,000 até o ano 2020. Ele está recomendando que os investidores segurem seus Bitcoins por apenas mais dois anos, após o que eles provavelmente verão maciços retornos em seus investimentos.

 

As opiniões/previsões de Lee são levadas a sério graças à exatidão de suas previsões anteriores. Lee avalia o preço do Bitcoin desde o início de 2017, quando o Bitcoin estava sendo vendido por menos de US$ 3.000. Ele previu bull rally que levaria as cotações do Bitcoin a US$20,000 durante os últimos meses do ano. Ele já afirmou que vê o Bitcoin potencialmente atingindo US$ 25.000 até o final de 2018, e anteriormente sugeriu que atingisse US$50.000 em 2022.

Se Lee estiver correto, o Bitcoin não só alcançará grandes números muito mais cedo, mas os números serão maiores do que o previsto originalmente. Tudo o que podemos fazer é ficar de pé e esperar que Lee saiba do que ele está falando.

 

 

                      Conheça nosso canal no Telegram
%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]