Precisamos falar sobre as exchanges

Vitalik Buterin é definitivamente uma das pessoas mais influentes na esfera das cryptomoedas, e suas opiniões sempre fazem os investidores tremerem ou vibrarem. Sua última tacada foi sobre as exchanges, que ele considera centralizadas demais. Em uma entrevista ao Cointelegraph, Vitalik disse que espera que as exchanges “queimem no inferno”. Olhando para os argumentos dele em relação a elas, todos eles fazem sentido. Ele argumenta que as exchanges centralizadas têm tanto poder para determinar quais cryptos devem crescer, e quais não.

Uma vez que sempre que as principais bolsas listam uma nova moeda, ela tende a crescer em valor.  As exchanges centralizadas basicamente criaram uma situação em que apenas as moedas que possam aumentar as taxas podem crescer. Não sejamos inocentes, amigos leitores. As exchanges vivem de taxas e de ágio. Como já reportamos aqui nesse portal, sobre o colossal faturamento das exchanges asiáticas diariamente, só cobrando taxas e ágio. Muita gente ignora até mesmo quanto paga de taxas nas suas operações de trading e amarga prejuízo sem saber. Como também reportamos aqui.

Isso não é saudável à cryptocomunidade, cujo ponto de partida desde o início era a descentralização. Sem as exchanges, é até provável que o Bitcoin não fosse a cryptomoeda dominante no mercado. Isso porque os volumes de mercado em torno de outras cryptos também aumentariam, com base em seus recursos técnicos. Esse é outro ponto no qual estamos sempre discutindo – muitos reclamam da liquidez do mercado, mas se deram conta de que essa flutuação é fruto da própria ação das exchanges? A Kraken há poucos dias foi acusada pela Bloomberg por influenciar o mercado de Tether, como já reportamos também aqui em primeira mão, amigos leitores.

Mas essa não é a única razão pela qual as exchanges são ruins para o mercado de cryptomoedas. Elas também têm muito poder contra seus clientes. No passado recente, vimos algumas bolsas aumentarem as taxas mínimas de retirada para seus clientes. Isso equivale a manter o dinheiro de alguém contra sua vontade, mas há pouco que o cliente possa fazer a respeito. Quem não já teve saldo retido na famigerada e lavanderia Bitfinex, levante o dedo. A Binance pelo menos nesse aspecto está promovendo algum avanço, pois podemos trocar nossos saldos mínimos, pelo seu token BNB, como já reportamos aqui nesse portal. Este é um poder indevido que derrota toda a essência da tecnologia blockchain e cryptomoedas. Na cryptoesfera, ninguém deve ter o poder de ditar quanto do seu dinheiro você pode tirar. Esse poder que as exchanges centralizadas mantêm é praticamente o mesmo que os bancos exercem sobre seus clientes. É idêntico. As cryptomoedas surgiram para colocar em cheque a centralização dos poderes dominantes sobre nós e essa tecnologia não deveria estar sendo usada como mais uma linha auxiliar desses poderes estabelecidos e mais: novos poderes dominantes, que nasceram dessa disrupção tecnológica, não deveriam estar concentrando tantos poderes assim na mão. É preciso então que tudo mude, para permanecer como era antes?

Portanto, para o mercado corrente, este que alguns sonham, que um dia todos os negócios do mundo, possam receber pagamento em cryptomoedas possa crescer, as exchanges precisam desaparecer. Sim, eles fornecem liquidez, mas suas desvantagens superam em muito o valor que eles trazem para o mercado. Além disso, as bolsas descentralizadas têm a capacidade de fomentar essa liquidez também. Tudo o que é necessário é que mais pessoas adotem essas exchanges. Um exemplo seria a Dex da Waves.

À medida que a tecnologia por trás das exchanges descentralizadas se torne mais sofisticada, toda a justificativa para a existência de exchanges centralizadas desaparecerá e a cryptografia crescerá.

Siga-nos no Telegram   no WhatsApp   no Twitter

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]