O Blockchain: O impacto do tsunami

Agora que conseguimos entrar e sair da Internet e a tecnologia do blockchain sem se afogar, podemos nos preparar para admirar e sobreviver ao tsunami que vem se aproximando do país. 

Desta forma a Indústria tem se adaptado de acordo com a quantidade de acesso a tecnologia blockchain e as mais informadas e experientes com a tecnologia começam a ter resultados de performance, desempenho, acessibilidade e agradabilidade do público começa a chamar a atenção dos bancos, da Indústria e dos governos.

Assim as empresas começam a oferecer serviços fundados na tecnologia, como:

‘’ BitProof

Situação: Aberta ao público

Setor: Jurídico

O BitProof é o mais avançado de vários aplicativos de marcação de hora/data de documento que surgiram nos últimos anos, tornando cartórios obsoletos. Embora existam versões gratuitas como o Blocksign e o OriginStamp, o BitProof oferece mais serviços, incluindo um que visa a proteção de propriedade intelectual. O BitProof fez recentemente uma parceria com a Holberton School de São Francisco para colocar seus certificados acadêmicos estudantis no blockchain, reconstruindo totalmente a forma de manuseio e uso de certificados estudantis.’’ PARKER, Luke. Trad. Livre.

Com esse desenvolvimento e impacto é claro que o Banco e o Mercado Financeiro não ficariam de fora desta novidade tecnológica que começava a fazer ruídos no Mercado Internacional. Aqui no Brasil o impacto chegou tarde, mas encontrou mentalidades abertas com interesse de testar e utilizar a tecnologia para promover soluções internas. O BNDS foi um.

‘’ BNDES vai começar a usar uma moeda virtual própria em suas operações. O uso dessa divisa, ainda sem nome, será restrito ao pagamento de fornecedores nos projetos apoiados pelo banco e permitirá que o dinheiro desembolsado seja rastreado por meio de um sistema de pagamento eletrônico desenvolvido pelo BNDES em parceria com o banco de desenvolvimento alemão KfW. O objetivo é dar mais transparência às operações. A nova moeda deve ser usada pela primeira vez em maio, para apoiar projetos do Fundo Amazônia, gerido pelo BNDES.’’ Revista Época 21/02/2018.

Desta forma começamos a ter outras distinções de aplicações para o blockchain, o blockchain nativo e o blockchain híbrido:

Blockchain Nativo

É integralmente uma programação dentro do blockchain na qual , em vez de Apps (aplicativos), temos os Dapps (aplicativos descentralizados), que nos permitem navegar no blockchain.

Blockchain Híbrido

É um blockchain com uma ponte de conexão as aplicações da internet, costuma-se usar este tipo de aplicação do blockchain para elaborar back doors (porta de trás) para as páginas que contém informações online.

Com essas alternativas de aplicações e desenvolvimento da tecnologia temos um mar de rupturas estruturais na maneira que conhecemos e usamos a Internet e que reflete diretamente na maneira em que nos organizamos como sociedade. 

Assim temos acompanhado o desenvolvimento desta tecnologia e como seus impactos tem executado uma transformação no mundo do trabalho e vale levarmos a lupa um pouco mais distante e observarmos como essa tecnologia impactou o mundo do trabalho, Banco e o Mercado Financeiro.

O tsunami está a caminho e os calcanhares começam a serem molhados, cabe a nós decidir o que vamos fazer com ele: 

Nós podemos ser impactados e afundar ou podemos usar essa força para avançar e explorar o que temos de melhor: o poder de inovar. 

Bem vindos a Revolução Industrial 4.0

Por Bruno Contardi, Head of Exchange Acceleration Program on INBlockchain Global & LATAM

%d blogueiros gostam disto:

Nossa Newsletter

Inscreva-se para a nossa newsletter!

[mc4wp_form id="1627"]